Livraria Cultura

2

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

A Balada do Café Triste (Carson McCullers)
























"Antes de mais nada, o amor é uma experiência conjunta entre duas pessoas, mas o fato de ser uma experiência conjunta não significa que seja uma experiência semelhante para as duas pessoas envolvidas. Há o amante e o amado, e cada um vem de mundos diferentes. Muitas vezes, o amado é apenas um estímulo para todo amor que, até então, permaneceu guardado no amante. E, de alguma forma, todo amante sabe disso. Ele sente em sua alma que o amor é uma coisa solitária. Ele aprende a conhecer uma nova e estranha solidão, e é este conhecimento que o faz sofrer. Portanto, há somente uma coisa que o amante pode fazer. Ele deve abrigar o seu amor dentro de si, da melhor maneira que conseguir; deve criar para si mesmo um mundo interior totalmente novo, um mundo intenso e estranho, completo em si mesmo. É preciso acrescentar que este amante do qual falamos não precisa necessariamente ser um jovem que economiza para comprar um anel de noite; este amante pode ser homem, mulher, criança, ou qualquer criatura humana desta terra. O ser que é amado também deve ser descrito. As pessoas mais inesperadas podem servir de estímulo para o amor. (...) Por essa razão, a maioria de nós prefere amar a ser amado. Quase todas as pessoas querem ser amantes. E a dura verdade é que, secretamente, a condição de ser amado é insuportável para muitos. O amado sempre teme e odeia o amante,e com toda a razão! O amante necessita desesperadamente da relação com o amado, mesmo que essa experiência não lhe cause senão sofrimento."













Mais frases & trechos selecionados pelos leitores: aqui!
















Esse livro virou filme: assista ao trailer:








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...